terça-feira, dezembro 18, 2007

Natal x Consumismo

Natal, ou melhor, o nascimento de Jesus Cristo, O Salvador. Em tempos modernos, o Natal se tornou a oportunidade de vender mais, comprar mais, realizar todos os sonhos que tivemos durante o ano. E onde fica Cristo nisso tudo? Talvez seja lembrado só alguns meses depois, quando a pessoa se vê individada até o último fio de cabelo e aí resolve pedir uma ajuda ao dono do Natal.

terça-feira, dezembro 11, 2007

Quando tudo parece dar errado

Tem dia que você acorda, e tudo dá errado. Você vai tomar banho e acaba a luz, saí pro trabalho e seu pneu fura, chega pro serviço atrasado e alguém derruba café na sua roupa. Nesse momento, alguns param e pensam: “Que droga de vida”.
Quero compartilhar um pouco dessa experiência, que dei o título de: “Quando tudo parece dar errado”.
Final de semestre é tudo igual, correria com trabalho, prova, entrega de trabalhos antigos, uma bagunça na vida de qualquer estudante. Como universitário, para mim, não foi diferente. Muitos trabalhos, provas, resenhas, e tudo com o prazo curtíssimo, mas enfim terminei, e entreguei tudo em suas respectivas datas. E isso é o motivo para dar glórias a Deus.
Mas também, tem aqueles fatos, que não podemos controlar. Quem poderia imaginar que a matéria que você nunca faltou, sempre presta atenção nas aulas, é assíduo na entrega dos trabalhos, fosse à matéria que iria te passar a perna e te derrubar aos 45 minutos do segundo tempo. Ou pior, você, lê sua prova, soma os pontos, e vê que daria para você passar, mas o professor simplesmente por questões pessoais, ou sei lá o que, resolve ter dois pesos e duas medidas na correção. E aí você se vê no final do semestre, tendo que fazer a prova de toda a matéria – aquela que você nunca faltou – por um ato de injustiça do professor, mas que agora os critérios de avaliação te deixam em maus lençóis, e você pensa: “Que droga de vida”.
Bom a bíblia diz em I Tessalonicenses 5.18: “Em tudo daí graças...”, mas será que é fácil, ou é melhor murmurar todos os dias? Para nós humanos é melhor murmurar.
Mas vai aí minha experiência pessoal, e aí cada faça seu julgamento. Esse final de semestre experimentei isso com minha namorada. Uma injustiça do professor, nada mais que isso. Um professor, que se sabe lá o porquê resolveu ser um tremendo, e aí me desculpem o linguajar, picareta. Isso é revoltante demais. Mas sabe que aprendi com tudo isso:

  1. Aprendi que o homem, por mais legal que seja, e tenha um bom coração, na verdade é mal.
  2. Murmurar faz parte, mas não adianta, e por isso devemos dar graças.
  3. Por mais que tenha que estudar tudo de novo, as coisas podem ser mais legais do que a gente imagina.

Quanto ao resultado da prova, ela obteve a aprovação. E principalmente, ela obteve a aprovação de Deus (porque quando bateu aquela raiva, no mesmo momento, nos prostramos diante de Deus e oramos agradecendo pela vida do professor) e também, por ainda ter que ouvir de algumas pessoas “se tivesse colado teria passado”. Mas não, ela foi fiel, e recebeu a recompensa justa – e seria justa mesmo se não tivesse passado. Eis duas lições: Tudo sempre dá certo quando estamos com Deus, não importa o que seja, dá certo, e a segunda, tem pessoas que são como irmãos. Deus não nos desampara, transforma pessoas que talvez não pudessem ajudar, em pessoas que nos dias maus se tornam os verdadeiros irmãos.
Ah, a maravilhosa Graça, que nos faz, mesmo diante da muralha, cantar louvores e dar graças por nossos gigantes do dia a dia.

quarta-feira, dezembro 05, 2007

Seu coração é enganoso?

Será que nós somos enganados por nossos próprios corações? Essa semana ouvi que não, ou melhor, que nosso coração já não é mais enganoso. Incrível não é?
Eu achei muito interessante essa afirmação. Porém seria mais interessante se a bíblia desse esse entendimento, mas de fato, ela não dá. Ela é clara, quando diz, que nosso coração é enganoso. Isso sem levar em conta o pecado que está presente em nossa natureza.
Bom, aonde quero chegar com tudo isso. Quero dizer que não podemos desprezar o que a bíblia ensina, apenas para dar "palavras" bonitinhas na televisão. Na verdade, o nosso coração é tão enganoso, que as pessoas têm achado que a humanidade precisa de palavras confortáveis tem necessitado de um evangelho que se adeque, a esse ou aquele, mas a verdade somos nós que devemos nos adequar a palavra de Deus.
O mais interessante, é a visão humanista que tem enganado as igrejas. Cada dia mais as pregações e músicas, tem sido focadas totalmente no homem. É sempre a mesma ladainha: "eu, você, nós", mas o "Deus, Senhor, Justo, Perfeito, Salvador, Arrependimento, inferno" fica em segundo plano nas músicas e pregações. É o engano de dizer que o homem está na frente de Deus.
O que prova que nosso coração é enganoso é o fato de os crentes, serem cada dia mais numerosos, e o mundo está cada dia pior.
Então deixo a reflexão, porque isso acontece? Qual é a relação entre, o mundo está cada dia pior, e o número de crentes está cada dia maior? Não deveria ser inversamente proporcional?
O pior é que isso não é exagero, isso é um fato!
Precisamos de uma nova reforma protestante ou vamos viver o conformismo pós-moderno?
Prefiro a primeira opção. Tenhamos a coragem que tiveram os reformadores.
Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo. Gálatas 1.10.

"A heresia vem montada nos lombos da tolerância".(John MacArthur)