segunda-feira, março 31, 2008

35 razões para não pecar

Por
Jim Elliff

1 - Porque um pequeno pecado leva a mais pecados.
2 - Porque o meu pecado evoca a disciplina de Deus.
3 - Porque o tempo gasto no pecado é desperdiçado para sempre.
4 - Porque o meu pecado nunca agrada a Deus; pelo contrário, sempre O entristece.
5 - Porque o meu pecado coloca um fardo imenso sobre os meus lideres espirituais.
6 - Porque, no devido tempo, o meu pecado produz tristeza em meu coração.
7 - Porque estou fazendo o que não devo fazer.
8 - Porque o meu pecado sempre me torna menor do que eu poderia ser.
9 - Porque os outros, incluindo a minha família, sofrem conseqüências por causa do meu pecado.
10 - Porque o meu pecado entristece os santos.
11 - Porque o meu pecado causa regozijo nos inimigos de Deus.
12 - Porque o meu pecado me engana, fazendo-me acreditar que ganhei, quando, na realidade, eu perdi.
13 - Porque o pecado pode impedir que eu me qualifique para a liderança espiritual.
14 - Porque os supostos benefícios de meu pecado nunca superam as conseqüências da desobediência.
15 - Porque me arrepender do meu pecado é um processo doloroso, mas eu tenho de arrepender-me.
16 - Porque o pecado é um prazer momentâneo em troca de uma perda eterna.
17 - Porque o meu pecado pode influenciar outros a pecar.
18 - Porque o meu pecado pode impedir que outros conheçam a Cristo.
19 - Porque o pecado menospreza a cruz, sobre a qual Cristo morreu com o objetivo específico de remover o meu pecado.
20 - Porque é impossível pecar e seguir o Espírito Santo, ao mesmo tempo.
21 - Porque Deus escolheu não ouvir as orações daqueles que cedem ao pecado.
22 - Porque o pecado rouba a minha reputação e destrói o meu testemunho.
23 - Porque outros, mais sinceros do que eu, são prejudicados por causa do meu pecado.
24 - Porque todos os habitantes do céu e do inferno testemunharão sobre a tolice deste pecado.
25 - Porque a culpa e o pecado podem afligir minha mente e causar danos ao meu corpo.
26 - Porque o pecado misturado com a adoração torna insípidas as coisas de Deus.
27 - Porque o sofrer por causa do pecado não tem alegria nem recompensa, ao passo que sofrer por causa da justiça tem ambas as coisas.
28 - Porque o meu pecado constitui adultério com o mundo.
29 - Porque, embora perdoado, eu contemplarei novamente o pecado no Tribunal do Juízo, onde a perda e o ganho das recompensas eternas serão aplicados.
30 - Porque eu nunca sei por antecipação quão severa poderá ser a disciplina para o meu pecado.
31 - Porque o meu pecado pode indicar que ainda estou na condição de uma pessoa perdida.
32 - Porque pecar significa não amar a Cristo.
33 - Porque minha indisposição em rejeitar este pecado lhe dá autoridade sobre mim, mais do que estou disposto a acreditar.
34 - Porque o pecado glorifica a Deus somente quando Ele o julga e o transforma em uma coisa útil; nunca porque o pecado é digno em si mesmo.
35 - Porque eu prometi a Deus que Ele seria o Senhor de minha vida.

Renuncie seus direitos
Rejeite o pecado
Renove sua mente
Confie em Deus

sexta-feira, março 28, 2008

O Príncipe dos Pregadores

Quem quer saber o mínimo de teologia comece lendo quem era Spurgeon, depois leia um pouco de sua obra. Spurgeon é considerado o Príncipe dos Pregadores.



24 Fatos Notáveis sobre C.H. Spurgeon



1. CHS leu o Progresso do Peregrino aos seis anos de idade e o releu 100 vezes após isso.
2. A coleção impressa de seus sermões (63 volumes) tem tantas palavras quanto a Enciclopédia Britânica, todavia, ele pregou suas 140 palavras por minuto à partir de uma única folha de anotações, preparada na noite anterior.
3. Uma mulher foi convertida lendo uma simples página de um sermão de Spurgeon que ela encontrou enrolada ao redor da manteiga que ela tinha comprado.
4. Antes dos 20 anos de idade, CHS pregou 600 vezes.
5. Aos 19 anos de idade, a Igreja de New Park Street o convidou para um teste de seis meses. Eu aceitaria somente um teste de três meses pois, “Eu não queria me tornar um obstáculo”. Quando ele chegou, em 1854, a congregação tinha 232 membros. Trinta e oito anos depois o total era de 5.317 com outros 9.149 que tinham sido membros (mudanças, mortes, etc.).
6. CHS disse dos políticos: “Eu tenho ouvido, ‘Não traga a religião para a política’. É precisamente para este lugar que ela deveria ser trazida e colocada ali na frente de todos os homens como um candelabro”.
7. CHS certa vez se dirigiu a uma audiência de 23.654 pessoas sem, é claro, um microfone ou uma amplificação mecânica.
8. Um dia, para testar a acústica de um salão onde ele iria falar, ele falou em alta voz — “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Um trabalhador nas vigas ouviu e foi convertido.
9. A mulher de Spurgeon, Susannah, o chamava, “Sua Excelência”.
10. CHS falava tão fortemente contra a escravidão que os seus publicadores Americanos editavam os seus sermões.
11. CHS recusou ser ordenado e recusou o título, “Reverendo”. (Todavia, ele fundou um colégio de pastores).
12. CHS entrevistou pessoalmente todos os membros candidatos na determinação de estar seguro da genuinidade da sua conversão. 14,000/38=368 por ano. (Veja #5 acima).
13. Ele nunca disse à sua congregação em quem votar — mas ele denunciava os candidatos por nome desde o púlpito — e ele distribuía folhetos durante a semana para os oficiais que estavam querendo saber quem ele favorecia.
14. A cada Natal CHS dava presentes individuais aos órfãos dos orfanatos que ele tinha fundado, mesmo quando o número aumentou para aproximadamente mil.
15. CHS lia quase um livro por dia em média. Ele freqüentemente confessava estar ciente de oito grupos (séries) de pensamentos identificáveis em sua mente ao mesmo tempo.
16. Concernente aos orfanatos como obra social, CHS declarou: “O socialismo é somente palavras e teoria. Nós cuidamos tanto dos corpos como das almas dos pobres e tentamos mostrar nosso amor à Verdade de Deus pelo amor verdadeiro”.
17. O colégio de pregadores de Spurgeon fornecia educação geral assim como educação teológica. Não havia taxas fixas.
18. O diretor do colégio, George Rogers, era um pedobatista, mostrando a tolerância e magnanimidade de Spurgeon — mas todos na faculdade tinham que “ensinar as Doutrinas da Graça com dogmatismo, entusiasmo e clareza”.
19. CHS, pelas melhores estimativas disponíveis, foi o instrumento direto e pessoal de Deus de aproximadamente 12.000 conversões.
20. O colégio, diretamente através dos esforços de Spurgeon de propagação com base em sua estimativa de doações, enviou homens resultando na plantação de mais de 200 igrejas.
21. O primeiro livro publicado pela Moody Press foi o All Of Grace [Tudo pela Graça] de Spurgeon. Ele ainda é o bestseller número #1 deles.
22. CHS certa vez pregou uma mensagem sonhando, a qual sua esposa, que estava acordada, registrou em papel. Ele a pregou na manhã seguinte.
23. Havia oração contínua para a obra do Tabernáculo Metropolitano no porão do mesmo.
24. Num culto em 1879, a congregação regular de 4.850 membros deixou o tabernáculo para permitir que novas pessoas, que estavam esperando do lado de fora, tivessem uma chance de vir e ouvir. O edifício imediatamente se encheu de novo,
25. Quando Moddy encontrou Spurgeon e descobriu que ele fumava charutos, ele ficou um tanto surpreendido e desconcertado. Spurgeon lhe assegurou que nunca tinha exagerado. Moody perguntou cortesmente, “E o que você consideraria um exagero?”. Ao que Spurgeon respondeu, “Fumar dois ao mesmo tempo”. É crido que Spurgeon parou de fumar charutos quando a loja de tabaco onde ele os comprova começou a se auto-anunciar como, “A Loja Onde Spurgeon Compra Seus Charutos”.

terça-feira, março 25, 2008

Enjove 2008

Pessoal, a seguir, as 3 devocionais que fiz para o acampamento de jovens da Terceira Igreja Batista do Plano Piloto.
O tema era avivamento, e hoje como sabemos é muito mal utilizado, dessa forma trouxemos uma abordagem bíblica do tema. As devocionais são atitudes pessoais que todos os santos devem ter diariamente para que a igreja seja realmente A viva Igreja.
Estão na ordem que foram dadas: Confissão e Arrependimento, A Palavra que vivifica e E o viver é Cristo.
Deus abençoe a todos.

Soli Deo Gloria

Confissão e Arrependimento

Leia I Corintios 5

O texto traz um exemplo no qual a Igreja tinha um escândalo: um homem tomou a esposa de seu pai. Nesse caso não a sua própria mãe, mas sim sua madrasta. O termo IMORALIDADE vem do Grego PORNEIA, e é daí que tiramos o termo pornô-gráfico.

Paulo condena a igreja porque não está tratando o assunto como deve ser tratado. Entregar esse homem a satanás nada mais é que mostrar o erro dele, dizer claramente a ele que a Igreja do Senhor não aceita isso e que ele precisa confessar e se arrepender diante de Deus e dos homens.

Mais para frente no verso 6 a 8 Paulo mostra a solução prática e contextualizada para os nosso pecados. Quando ele afirma no versículo 6: O orgulho de vocês não é bom, significa que é necessário reconhecer os pecados, não podemos deixar um pecado sem o devido perdão de Deus, e mais pra frente ele diz vocês não sabem que um pouco de fermento faz toda a massa ficar fermentada?. E, aí é aplicação para todos. Por meio de um pecado toda humanidade se contaminou com o pecado, e no contexto desse capitulo ele mostra que aquele homem que cometeu o incesto deveria ser retirado do meio dos irmãos para que não contaminasse a massa toda – a igreja.

Paulo também traz a solução: Livrem-se do fermento velho, para que sejam massa nova e sem fermento, como realmente são. O fermento tem conotação ruim na bíblia, tanto que na Festa dos Pães sem fermento (Ex 12.15), todos os judeus varriam o fermento de suas casas, por isso o termo “livrem-se”. Para que sejam massa nova como realmente são, aqui é a condição dos crentes – massas novas – ou seja fomos salvos e purificados, logo precisamos nos livrar dos pecados que antes cometíamos quando ainda estávamos dominados pelo pecado. Paulo propõe uma renovação diária – santificação.

A seguir podemos ler uma breve citação de A.W. Pink onde ele explica muito bem o que é pecar:

Pecado é uma renúncia daquele que me fez. É Lhe recusar Seu direito de me governar. É a determinação de agradar a mim mesmo; assim, é uma rebelião contra o Altíssimo. O pecado é uma ilegalidade espiritual, e uma indiferença absoluta à autoridade de Deus. Ele está dizendo em meu coração: Eu não me importo com o que Deus requeira, eu vou seguir o meu próprio caminho; eu não me importo com o que Deus reivindique de mim, eu serei o senhor de mim mesmo.

CONFISSÃO É DIZER, ARREPENDIMENTO É NÃO QUERER MAIS FAZER.

Viva isso diariamente para que a Igreja do Senhor seja diariamente vivificada e lembre-se: Todavia Deus que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou nos deu vida, quando ainda estamos mortos em transgressões – pela Graça sois salvos. Efésios 2.4-5.

A Palavra que vivifica

Leia Hebreus 4.12

A igreja que se esquece das Escrituras seguramente estará caminhando para a destruição. Da mesma forma o homem que não a lê e estuda caminha para ruína.

Esse texto é um texto muito forte e causa certo temor e uma segurança que ela – A Bíblia - nunca irá falhar. Há certa controvérsia em afirmar que a Bíblia contém a Palavra, mas pelas Escrituras podemos afirmar, com certeza, que ela é a Palavra de Deus, e isso faz uma grande diferença na forma como vemos a Palavra. Ela é inerrante, infalível, ela é a revelação de Deus para nós. Se antes tínhamos sarças ardendo em fogo, fumaça; hoje temos a Bíblia, que diz tudo que precisamos sobre Deus, sobre quem somos, nossas ações, nosso futuro, ela traz a nossa visão do mundo. Ela é a Palavra de Deus, ou seja, o próprio Deus revelado.

Ela é viva e traz vida, ela é eficaz porque transforma, ela faz parte da obra salvadora de Deus. Ela é a nossa espada, ela é mais afiada que qualquer outra espada, pois ela é Deus penetrando em nossas vidas e por isso ela vai até o fundo, divide alma e espírito; juntas e medulas e é capaz de dividir aquilo que é impossível ser dividido para nós. É capaz de ver aquilo que é mais sombrio, discernir o que é santo, julgar o que é pecado, penetrar o mais íntimo e profundo em todos os homens.

O mundo espera apenas um erro nosso para que logo possam nos acusar. Mas Jesus é a Palavra encarnada, e nós temos a Palavra registrada, por isso estamos munidos da mesma segurança de Jesus, basta sabermos como usa-la, ter intimidade com ela, saber quais são as regras que nos vão deixar de pé no mundo.

Como vamos tratar de avivamento se não podemos reconhecer um genuíno avivamento? Se não sabemos o que a Palavra diz sobre isso? Martinho Lutero afirma que mesmo que uma doutrina faça chover milagres todos os dias, se ela não estiver de acordo com a palavra, deve ser rejeitada. Então como viver sem andar de acordo com a Bíblia?
Ninguém precisa ser teólogo, mas a Bíblia precisa ser viva para igreja, precisa ser eficaz, ela precisa fazer sentido na vida dos crentes. Ser viva, eficaz e fazer sentido, depende de como nos relacionamos com as Escrituras e o que fazemos com aquilo que aprendemos do Senhor. Sem a Palavra estamos todos condenados a ruína!

A igreja para ser avivada precisa da Palavra, nem que seja 1 página, 1 capítulo ou 1 versículo, contrário a isso estaremos negligenciando as bênçãos de Deus.

A Bíblia tem todo esse poder simplesmente porque é a voz do Deus Que Vivifica, revelada.

Para que tenhamos aqui bom equilíbrio, devemos examinar a Palavra de Deus, na qual temos excelente regra para o entendimento firme e correto. Porquanto, a Escritura é a escola do Espírito Santo, na qual assim como nada que seja útil e salutar conhecer é omitido, assim também não há nada que nela seja ensinado que não seja válido e proveito saber. (João Calvino, As institutas).

E o viver é Cristo

Leia Filipenses 1.12-21

O viver é Cristo e o morrer é lucro. Em qualquer uma das situações você estará desfrutando do melhor para se ter. Tanto no viver, como no morrer estaremos ligados com Cristo, mas o morrer é lucro porque estaremos na glória de Deus, estaremos desfrutando da eternidade com o Senhor.

Aqueles que acreditam que a razão e a fé estão distantes precisam rever seus conceitos porque a razão está na fé, por isso precisamos da fé para melhor entender, ou realizar certas coisas.

Como vemos, a Bíblia (palavra de Deus inerrante, infalível, revelação de Deus) diz que o nosso viver é Cristo. Se acreditamos que Deus a inspirou, que Ele se revela através dela para nós, e que Cristo viveu uma vida sem pecados e foi glorificado, então por um pensamento lógico, então devemos viver com Cristo e como Cristo!

Para viver Cristo é necessário mudar alguns conceitos. Para o mundo, ser humilhado é ruim, mas para a Bíblia, é necessário. Para os homens a regra é cada um por si, ninguém se preocupa com ninguém, mas a Palavra diz: ame o seu próximo como a ti mesmo. Para alguns é vergonhoso ser considerado pior que alguém, mas as Santas Escrituras dizem: considere os outros superiores a si mesmos. Ou seja, a Bíblia nos propõe algo um tanto quanto desconfortável para o que estamos acostumados.

O quanto antes começarmos a viver Cristo, tanto antes estaremos entendendo essas “incoerências” e como o mundo, de forma sutil, tem distorcido o significado da vida de Cristo.

Não devemos achar que não podemos ter nada, ganhar nada, que devemos ser perdedores, mas se isso for necessário para que nos pareçamos mais com Cristo assim devemos fazer, pois ele mesmo se fez servo, se humilhou por nós. O apóstolo Paulo diz que considera todas as coisas lixo para ganhar a Cristo.

Deus sabe o que faz, Ele vê todas as coisas, e nós precisamos saber que quando Deus pede algo de nós não é mera brincadeira. Mais uma vez usando o argumento lógico, se cremos que Deus é onipotente, onipresente e onisciente, ou melhor, se cremos que Ele é Deus e faz o que quer, porque é o que é; porque não obedecer prontamente?

Se vivermos por Cristo, morremos por Cristo, se Cremos na Vontade de Deus sejamos coerentes com o que acreditamos. Precisamos viver Cristo por completo, não apenas desfrutar de sua Graça e Glória, mas sejamos servos, humildes, amorosos, prontos a ajudar, e se necessário morrer, que seja feito para a glória de Deus.

Sejamos a igreja viva de Cristo, pois ele nos deu vida morrendo em nosso lugar. E nunca teremos um avivamento se o povo do Senhor não estiver imitando a Cristo no seu viver.